Ivânia Vieira*

Enquanto jovens gastam horas ‘discutindo’ que estão velhos aos 28, 30 anos, um homem de 94 anos é pura chama acesa. E contamina pelo vigor, pela paixão e ousadia. Stéphane Hessel literalmente incendiou o mundo em 32 páginas, com o “Indignai-vos!”, lançado em 2010.

Amado e odiado, Hessel encarna o mais desaforado e corajoso jovem. Ou, talvez, tenha se reinventado para balançar os jovens envelhecidos e chamar a atenção deles quanto à responsabilidade que têm com o futuro desse mundo. Para isso, é preciso desorganizar o mundo atual, gritar que não há conformismo com o modelo de vida imposto à maioria das populações do mundo.

Hessel, nascido em Berlim e naturalizado francês, foi da resistência na Segunda Guerra. E um dos redatores, em 1948, da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Hoje, conclama os jovens para evitar a derrocada, a não aceitar o desemprego, a construir uma outra sociedade e resignificar a democracia.

É esse homem que mobiliza para enfrentar os devastadores do planeta; para o combate à corrupção, à impunidade e à servidão da classe política e contra um sistema de “cooperação pela financeirização do mundo”.

Ele fala olhando uma Europa mergulhada em crise aguda, mas a matéria prima do “indignai-vos” cabe em qualquer continente, na maioria dos países.

A obediência ao consumo é um dos enfrentamentos propostos por Hessel. Afinal, na lógica constituída por e para a indústria do consumo reside um dos suportes desse mundo doente. Ter e ter virou obsessão, justifica qualquer ato. Crianças, adolescentes e jovens são as presas preferenciais.

A democracia aprisionada pelas oligarquias tornou-se um meio de negócio entre os poderosos e, asfixiada, perde a referência de ser uma experiência de êxito na história da humanidade. Por isso, Hessel é tempero novo na vida acomodada.

Em entrevista à “Carta Maior”, em dezembro de 2011, Stéphane Hessel disse: “Eu só convidei as pessoas a refletirem sobre o que elas acham inaceitável”. O convite continua valendo!

*Jornalista e professora do Curso de Comunicação Social da Ufam.